Festa do Inverno

A Ordem Sagrada de Bennu é uma fraternidade voltada ao exercício da Bruxaria Ancestral. Aos iniciados, transmitimos conhecimentos ocultos conforme o grau de cada membro; à sociedade em geral, divulgamos nossos valores e, em plena coerência com estes, buscamos contribuir com causas como a preservação ambiental e a libertação animal. Os textos oferecidos neste site são de nossa autoria exclusiva. Não somos uma escola, não somos uma loja, não somos um negócio, somos uma irmandade religiosa. Não temos nem precisamos de fornecedores, clientes, sócios ou doadores. Não cobramos absolutamente nada de nossos membros, somos irmãos bruxos, portanto, se alguém cobrar alguma coisa de você para ensinar bruxaria, com certeza não é bruxaria ancestral, pois nossos dogmas são amplamente contrários a vender conhecimentos dessa espécie.
Em vista de frequentes mal entendidos, lembramos ainda que tanto por nossas origens (linhagem iniciática) quanto por nossos dogmas e celebrações, apesar de termos pontos em comum, bruxos ancestrais não são wiccanos.


Mensagem do Bennu-Kher

Festa do Inverno - 21 de Junho de 2017 - Hemisfério Sul

O dia mais curto do ano sinaliza a chegada do inverno.

Não há como distinguir a escuridão do frio. Ainda que neste período os céus se apresentem tipicamente limpos, no inverno até mesmo a claridade cega. O Sol de verão se desenha em sombras; o de inverno, na brancura de uma tela virgem, na potência ofuscante de um raio. É como se uma lei de compensação imaginária vigorasse, determinando que a luz que no equinócio se encontra distribuída ao longo do dia, a partir do solstício de inverno se concentrasse no período de insolação que restar, sufocando assim nossos olhos.

Escuridão, diria o burocrata científico das letras, é ausência de luz, portanto uma luz intensa seria o oposto...
Tecnicamente correto, mas palavras não servem para transmitir significados, palavras não tem importância intrínseca, elas servem para transmitir ideias, e escuridão é a palavra que melhor representa a dificuldade de ver por força de fatores externos.

No inverno tudo mergulha na escuridão, seja pela ausência ou pelo excesso de luz, e esta escuridão e luz excessiva também vão além do sentido literal, representam a solidão, a retração, o frio, a falta de recursos, o medo, a confusão de quem se vê jogado no vazio. Por isso, no inverno acendemos nossas luzes internas, nos aquecemos diante da lareira, recorremos a nossas reservas, aos amigos, à família, a tudo o que amamos e a tudo o que nos une para vivermos da crença de que um novo período de opulência virá lá adiante. Mas nem tudo são dores e doenças, a fé em dias melhores não é infundada, pois o menor dia do ano marca também o início do movimento de recuperação, o dia seguinte ao solstício de inverno é mais longo que o anterior e assim sucessivamente até a chegada do verão. O frio traz em seu ventre a semente do calor. Afinal, como diria o físico, não existe frio, o que existe é a ausência de calor.

Um fraterno abraço,
G.L.Taliesin, Bennu Kher da OSB

Tempo Bruxo

Em 21 de junho de 2017, no hemisfério sul, celebramos a Festa do Inverno, consolidando o espírito da Metade Escura da Roda do Ano. Em 1° de agosto estaremos comemorando Candelárias.